Luan, Biro Biro, Clayson e Pottker: sucesso recente respalda novas apostas da Ponte

Luan, Biro Biro, Clayson e Pottker: sucesso recente respalda novas apostas da Ponte

Após sucesso de antecessores, Claudinho e Fernandinho chegam à Macaca com status semelhante: desconhecidos do grande público e em busca de espaço no futebol

uando a expressão aposta é usada no futebol, normalmente cria-se uma desconfiança sobre o jogador que carrega tal rótulo. Na Ponte Preta, porém, o histórico recente de atacantes que chegaram longe dos holofotes e depois saíram por cima contraria essa lógica. Basta lembrar, de 2012 para cá, dos atacantes Luan, Biro Biro, Clayson e Pottker. Agora é a vez de Claudinho e Fernandinho tentarem repetir o sucesso dos antecessores e darem sequência ao legado.

O apelido no diminuitivo não é a única semelhança entre os novos reforços da Macaca. Ainda franzinos, buscam espaço no futebol, a exemplo de Luan, Biro Biro, Clayson e Pottker. Dos quatro, apenas Pottker, hoje no Internacional, já era um pouco mais conhecido quando foi contratado pela Ponte, devido ao bom desempenho no Linense. Mas nada comprado ao status de artilheiro do Brasileirão e do Paulistão ganhou com a camisa alvinegra.

Já Luan, Biro Biro e Clayson eram desconhecidos quando deixaram Atlético Sorocaba, Fluminense e Ituano, respectivamente. A passagem de destaque pelo Majestoso os colocou em evidência: Luan foi contratado pelo Atlético-MG, Biro Biro seguiu para o futebol chinês e recentemente Clayson se transferiu para o Corinthians.

Claudinho chega com a missão de suprir a saída de Clayson (Foto: Carlos Velardi/ EPTV)

Claudinho chega com a missão de suprir a saída de Clayson (Foto: Carlos Velardi/ EPTV)

Foi justamente a ida de Clayson para o Timão que proporcionou a chegada de Claudinho à Ponte. Como parte do pagamento, a Macaca ficou com 50% dos direitos econômicos do jovem de 20. As partes assinaram até dezembro de 2020.

Até pelo envolvimento na negociação e também pelas características – físicas e de estilo de jogo, a comparação é inevitável. Mas Claudinho, após empréstimos para Bragantino e Santo André, espera escrever a própria história na Macaca.

– O Clayson fez a história dele na Ponte, eu quero fazer a minha. Não estou aqui para ficar no lugar do Clayson. Vou tentar arrumar meu espaço. Quero sair daqui com títulos, mas mostrando para todos que não vão se arrepender dessa contratação. Um jogador tem de ter personalidade para vingar em grandes times – disse, antes de apresentar suas credenciais:

– Sou um cara rápido, gosto de ir para cima, não tenho medo. O drible é minha principal característica. Agora é mostrar meu trabalho para ver quando eu posso estrear – completou.

Com a documentação regularizada e a parte física em dia, Claudinho está à disposição do técnico Gilson Kleina para o duelo de domingo, contra o Atlético-MG, às 11h, em Belo Horizonte. O mesmo vale para Fernandinho, que, pela lista enviada pela Ponte dos relacionados para a intertemporada em Itu, será chamado de Fernando Marques, uma vez que já há outro Fernandinho no grupo: o lateral-esquerdo, também recém-contratado do Botafogo.

Com 19 anos, Fernandinho é mais uma aposta da Ponte para o futuro (Foto: Raul Sauan/ PontePress)

Com 19 anos, Fernandinho é mais uma aposta da Ponte para o futuro (Foto: Raul Sauan/ PontePress)

Fernando Marques é ainda mais novo que Claudinho: tem 19 anos e estava no Noroeste, onde foi um dos destaques na reta final da Série A3 e ajudou a livrar o time do rebaixamento, com um gol em nove jogos.

Com vínculo até dezembro de 2018, ainda sequer foi apresentado, o que é um sinal que ainda levará um tempo para ser aproveitado por Kleina. Mesmo treinando com os profissoinais, existe a possibilidade de, eventualmente, ele ser aproveitado na equipe sub-20.

A concorrência no ataque será com nomes mais experientes: Emerson Sheik, Lucca, Negueba e Lins – o jovem Yuri também é opção. A diretoria alvinegra ainda busca de uma peça de referência para fechar o setor.

Post Author: admin

Deixe uma resposta